Anglicanismo

Conheça um jeito diferente de ser igreja

A Igreja Livre de Inglaterra (FCE), registrada no Brasil como a Igreja Anglicana Reformada do Brasil, é uma igreja anglicana estabelecida na Inglaterra em 1844, seguindo as doutrinas reformadas e os princípios protestantes da Igreja da Inglaterra. A liturgia anglicana é o Livro de Oração Comum que possui o estilo da adoração cristã autêntica.

A Igreja Anglicana Reformada do Brasil é uma igreja que busca glorificar a Deus proclamando o Evangelho da Graça; fazendo discípulos através das comunidades anglicanas estabelecidas em cada cidade e, finalmente, formando e enviando lideres que façam visível o Reino de Deus no Brasil.

Suas perguntas são as nossas respostas

O Anglicanismo é o nome pelo qual é conhecido as igrejas cristãs que se aderem aos princípios reformados e protestantes da Igreja de Inglaterra. O Anglicanismo é parte da Santa Igreja Cristã, sendo assim Apostólica, Católica, Protestante e Reformada.

  • Apostólica no sentido de que é herdeira da doutrina dos apóstolos e sucessora do mandato dos apóstolos.
  • Católica no sentido de que é uma Igreja Universal presente em todos os continentes do mundo.
  • Protestante no sentido de que adere aos princípios da Reforma Protestante do Século XVI resumidos em: Somente as Escrituras, Somente a Graça, Somente a Fé, Somente Cristo, e Somente Glória a Deus.
  • E Reformada no sentido de que ensina as doutrinas da graça e confessa os 39 Artigos da Religião.

Definitivamente não, a Igreja de Inglaterra (ou igreja mãe do Anglicanismo) não foi fundada por Henrique VIII, ela já estava presente na Inglaterra muito antes de que Henrique VIII tivesse nascido. Pensa-se que o Evangelho chegou as Ilhas Britânicas ainda no Século I. No ano 314, o Primeiro Concílio de Arles teve presente três bispos britânicos, e a Diocese de Canterbury foi criada o ano 597. O que Henrique VIII fez realmente no Século XVI, foi separar a Igreja Inglesa do domínio da Igreja Católica Romana.

Por outro lado, o Anglicanismo reconhece que o divorcio de Henrique VIII teve sua importância, já que aproveitou a separação da Igreja da Inglaterra dá Igreja de Roma, e se divorciou de Catarina de Aragão. Este seria o primeiro de um número de divórcios que o rei teve na sua vida. Isto causou críticas por parte dos Reformadores Ingleses, os quais foram perseguidos pelo Rei Henrique VIII.

Henrique VIII morreu com o título de Defensor da Fé Católica, concedido pelo Papa pela posição do rei contra os protestantes ingleses.

A primeira referência sobre a existência de Cristãos na Grã-Bretanha foi registrada por Tertuliano que, em 208 d.C., fala de regiões da Ilha que haviam se convertido ao cristianismo. O certo é que, em 314 d.C., três bispos ingleses participaram do Concílio de Arles, no sul da França, como bispos da “Eklesia Anglicana.” Esse fato mostra que já havia uma igreja organizada na grande ilha. Em 597 d.C., o papa Gregório Magno enviou uma comitiva de 40 monges, chefiada por Agostinho, para converter os habitantes da Grã-Bretanha. A obra missionária iniciada por Agostinho foi consolidada por uma segunda missão romana liderada por Teodoro.

A união das duas igrejas só aconteceu no Sínodo de Whitby no ano 664 d.C., mesmo assim as tensões entre Roma e Inglaterra continuaram por toda a Idade Media. Só no século XVI, a igreja inglesa julgou necessário resistir à antiga intromissão papal, rompendo suas relações com Roma.

Henrique VIII não fundou uma nova igreja, mas simplesmente separou a igreja que já existia na Inglaterra da tutela e controle romanos por razões políticas, econômicas, religiosas e até pessoais. Prova de que a Igreja da Inglaterra não foi reformada por Henrique VIII, e que ele morreu com o titulo Papal de “Defensor da Fé.”

Separada e independente, a Igreja da Inglaterra continuou sua milenar caminhada na história, formando uma igreja reformada e ao mesmo tempo católica e evangélica. A Reforma na Inglaterra aconteceu no tempo do Rei Eduardo VI, e foi fruto do trabalho do Arcebispo Thomas Cranmer e outros homens de Deus. O Anglicanismo tem se desenvolvido rapidamente por todo o mundo e, hoje, ela é a maior igreja evangélica, protestante e reformada.

A Igreja de Inglaterra é a mais antiga igreja não católica romana em contínua operação no Brasil, mas, a respeito disso, na análise do campo religioso brasileiro frequentemente sua existência passa despercebida. O primeiro templo cristão construído por protestantes no Brasil foi da Igreja de Inglaterra, sendo também o primeiro na América do Sul, construído no Rio de Janeiro. Isto só foi possível em 1810, devido a um acordo de comércio entre Portugal e a Inglaterra, no qual estava prevista a liberdade dos anglicanos construírem suas capelas em território brasileiro.

Em princípio os anglicanos residentes no Brasil reuniam-se em residências e navios ingleses para realizarem seus cultos, antes da liberdade de construir capelas. Porém, as capelas não poderiam ter aspecto de templo e deveriam parecer uma casa comum, sendo proibido construir torres e ter sinos. Essas primeiras capelas ficaram subordinadas à Igreja da Inglaterra e eram somente para atender ingleses. Foram construídas capelas em São Paulo, Santos, Rio de Janeiro, Belém e Recife. Aproximadamente no ano de 1860 foi quando os missionários anglicanos estabeleceram as primeiras igrejas para o povo brasileiro.

Nos últimos 30 anos, ocorreram muitas mudanças no Brasil. Um grupo de fiéis cristãos observaram que muitos brasileiros estavam saindo e abandonando a Igreja, enquanto outros ainda não haviam tido um encontro pessoal com Jesus, contudo encontravam um número crescente de pastores pregando um evangelho distorcido de Jesus Cristo. Isto era causado por uma crise profunda de liderança cristã, e compreendendo que não estavam só diante duma crise de liderança, mas também de santidade.

Foi na confluência destes fatos que lideres sentiram um claro chamado de Deus para estabelecer uma missão seguindo a tradição cristã reformada encontrada na Igreja de Inglaterra, como uma Igreja fiel as Escrituras, aberta à razão como dom e sabedoria de Deus, e fundamentada na tradição Cristã sem erros humanos. Onde o Evangelho de Cristo fosse pregado e as doutrinas da graça ensinadas; o Senhorio de Cristo vivido pessoalmente e conjuntamente nas paróquias, e Deus fosse glorificado pelo Seu amor e graça eterna para com seus filhos.

A Igreja Anglicana Reformada do Brasil deseja levar as boas novas aos milhões de Brasileiros que não conhecem Jesus Cristo como Senhor e Salvador.

Nosso maior desejo é sermos fiéis cristãos que obedecem a missão de Deus como é apresentada nos Grandes Mandamentos e a Grande Comissão. Por este motivo, desejamos fazer discípulo de Jesus que façam discípulos, plantas igrejas saudáveis, e formar ministros para o Século 21. Este enfoque faz que a maioria dos nossos recursos sejam usados pra atingir nossa razão de ser.

A Igreja Anglicana Reforma do Brasil cresce de três formas. Recebemos igrejas já existentes que desejam formar parte de nós; segundo, apoiamos iniciativas de pessoas que desejam plantar novas igrejas e, terceiro, oramos estrategicamente para iniciar novas paróquias.

A maioria das nossas comunidades são novas igrejas que foram plantadas com o objetivo de pregar o Evangelho de Jesus Cristo, ensinar as doutrinas da graça e ajudar os cristãos a ser discípulos.

O Culto Litúrgico tem sido a prática constante da Igreja através da história desde o Novo Testamento até hoje. Também, era a prática do povo de Deus no Antigo Testamento. Por exemplo, o apóstolo Paulo escreve várias declarações litúrgicas da fé em suas cartas. Estas declarações (Fl 2,5-11; Col 1:15-20; 2 Tim 2:11-13) eram provavelmente usadas a cada semana pelas primeiras igrejas para se lembrarem do que eles acreditavam. O Anglicanismo tem uma grande diversidade litúrgica por todo o mundo, ainda assim, todas elas são produtos e seguem o Livro de Oração Comum.

Como Anglicanos, entendemos que as nossas orações mostram nossa fé e aquilo em que acreditamos. Acreditamos que a Bíblia é a Palavra de Deus inspirada e perfeita. Ela é o instrumento central através do qual Deus ensina o seu povo. Por esse motivo, cerca de 70% do Livro de Oração Comum são citações diretas das Escrituras. Nós também acreditamos que somos parte da Santa Igreja Cristã, ou como proclamamos no Credo: cremos na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica. Essa igreja não começa com o Brasil do século 21, nem vai acabar com a gente. Através da liturgia, nós não nos conectamos só com a sabedoria da palavra de Deus, mas também com o povo de Deus ao longo dos tempos e com os Anglicanos em todo o mundo. Isso ajuda a evitar que os crentes em qualquer período de tempo, ou qualquer país, se afastem muito do caminho cristão.

A Igreja da Inglaterra rejeitou todos os erros que a Igreja de Roma tinha adotado nela durante a Idade Média. Por isso, a Igreja da Inglaterra mudou tudo aquilo que era contrário as Escrituras e, ao mesmo tempo, mantendo tudo o que era correto conforme as Escrituras.

A diferença está nos princípios da Reforma do Século XVI.

  • Somente Cristo – Todos nós somos pecadores. Fomos excluídos da presença gloriosa de Deus (Romanos 3:23) por conta do pecado. Estamos todos condenados a morte (Romanos 6:23) , mas Deus traçou um plano de salvação em Cristo Jesus que nasceu, viveu, morreu e ressuscitou por nós. Deus mostrou seu amor eterno, enviando o seu único Filho para fazer justiça em nosso lugar (Romanos 6:24). Não há salvação sem Jesus. Sua obra perfeita na cruz é poderosa e suficiente para salvar todo aquele que se converter com arrependimento e fé (Atos 20:21). Cremos que Jesus e só Jesus é o mediador entre o Deus santo e o homem pecador ( 1 Timóteo 2:5).
  • Somente a Graça – Como somos pecadores e mortos espiritualmente não podemos fazer nada para nos salvar. Não existe salvação fora da Graça de Deus. A Graça acontece quando recebemos algo que não merecemos. Recebemos o privilégio de estarmos na presença de Deus, tendo nos reconciliado com Deus por meio de Jesus Cristo. A cruz é a maior demonstração de graça da história e não há mais nada que eu e você possamos fazer a respeito da salvação, não existe mérito humano nenhum nela, mas tudo vem de Deus (Éfesios 2:8-9)
  • Somente a Fé – Através da Graça precisamos ter fé em Cristo Jesus como nosso salvador. Ação essa que não temos a capacidade de ter sem a obra regeneradora de Deus, que nos concede nova vida e abre nossos olhos para sua glória. Se a fé viesse de nós a salvação seria mérito nosso, mas já vimos que não é. Até nosso ato de crer é um dom dado por Deus (Éfesios 2:8). Nada mais importa para nossa salvação, somos salvo pela fé e não por obras, mas isso não significa que as boas obras sejam ignoradas. Pelo contrário, as obras são consequências de uma fé genuína. A fé sem obras não é verdadeira e não tem poder para salvar, por isso a fé sem obras é uma fé morta que não tem poder de nos dar vida (Tiago 2:26)
  • Somente as Escrituras – Temos na Bíblia a revelação suficiente da vontade de Deus. Cremos que ela é totalmente verdadeira e contém tudo aquilo que o homem precisa saber. Deus nos entregou a Sua Palavra através dos profetas e apóstolos e nada deve ser retirado ou acrescentado (Apocalipse 22:18-19). Mesmo sendo escrita por mãos humanas foi inspirada por Deus e todas suas palavras estão de acordo com sua perfeita vontade, servindo para o ensino, repreensão, correção e instrução (2 Timóteo 3:16). A tradição e a razão estão subordinadas a própria Bíblia.
  • Somente Glória a Deus – Desde a criação até hoje os atos de Deus serviram para mostrar toda a grandeza e supremacia do Criador. Nosso dever como cristãos e filhos de Deus é refletirmos a Glória do Pai. Não existe outra maneira de fazer isso a não ser vivendo em humildade diante dEle, debaixo da sua autoridade e de acordo com sua vontade. Deus nunca fará algo contra seu caráter, mas isso não significa que entenderemos tudo o que acontecer, pois Deus é Soberano e Todo-poderoso. A ele seja toda a Glória para sempre, amém! (Filipenses 4:20)

Os Anglicanos adoramos, louvamos e veneramos unicamente a a Trindade e, portanto, a Jesus Cristo, que é o verdadeiro Deus e verdadeiro Homem. É o Filho de Deus e o Salvador do mundo.

Maria é a mãe de Jesus e, portanto, reconhecida e lembrada como tal. Ela ocupa um lugar especial na vida do Cristianismo, e o Anglicanismo vê nela um exemplo de humildade e obediência.

Com respeito aos Santos, ensinamos que todo cristão é um santo, que significa alguém apartado para servir a Deus. Existem na história da Igreja Cristã, homens e mulheres que tem sido um exemplo de vida. Porém, não adoramos, nem intercedemos ou veneramos estes irmãos em Cristo. Tampouco, fazemos imagens deles, nem esculturas, nem usamos os mesmos nos lugares de culto.

A ‘Igreja Anglicana Reformada do Brasil’ é a ‘Igreja Livre da Inglaterra’ no Brasil. Somos uma missão da Igreja Livre da Inglaterra para o Brasil. Temos uma relação fraternal e de plena comunhão com a Igreja Anglicana na América do Norte.
fce-church of englandA Igreja Livre da Inglaterra e a Igreja da Inglaterra tem uma longa relação. Às vezes, tem havido contatos formais entre nós, como em 1920, quando a Conferência de Lambeth emitiu o “Apelo a Todos os Cristãos.” Também, durante a década de 1990, quando as duas Igrejas tiveram conversas oficiais.

A Igreja da Inglaterra permitir clérigos e leigos da Igreja Livre da Inglaterra ter certos ministérios dentro da Igreja da Inglaterra, sujeitos a receber as permissões necessárias para as mesmas, e vice-versa.

Na Inglaterra, as duas Igrejas se relacionam também através do Grupo de Igrejas Livres e na organização Igrejas Juntas na Inglaterra. Localmente, o clero e as congregações locais da Igreja Livre da Inglaterra e da Igreja da Inglaterra cooperam em uma série de atividades juntas.

A Igreja Livre da Inglaterra é requerida pela sua Constituição a “conformar as leis e costumes antigos da Igreja da Inglaterra.” Nossa base doutrinaria, organizacional, litúrgica, ministerial e “ethos” são, portanto, verdadeiramente ‘Anglicanos.’

Uma vez dito isto, a Igreja Livre da Inglaterra não é parte da Comunhão Anglicana, ainda que não somos a única Igreja Anglicana nesta posição; por exemplo, REACH South Africa (formalmente, Igreja da Inglaterra na África do Sul), a Igreja Episcopal Reformada da América do Norte, ou a Igreja Anglicana na América do Norte, são três exemplos entre outros exemplos de igrejas anglicanas que não formam parte da Comunhão Anglicana.

Desde 1870, a Igreja Livre da Inglaterra tem plena comunhão com a Igreja Episcopal Reformada (REC) nos USA e Canada, também com a Igreja Anglicana na América do Norte (ACNA). Não confundir-se com a igreja brasileira autodenominada Igreja Episcopal Reformada.

A Igreja Livre da Inglaterra estava presente na inauguração da Fraternidade dos Anglicanos Confessantes (UK e Irlanda) em 2009, e temos participado ativamente na FCA-UK. Em Outubro de 2013, o Bispo Primaz participou no GAFCON 2 em Nairobi, Quênia; também, o Bispo Josep Rosselló esteve em GAFCON 2.

Sim. Em dezembro de 2012, o Arcebispo de Cantuaria e York reconheceram as Ordens Sagradas da Igreja Livre da Inglaterra, em conformidade com a Medida ‘Supervisão e Outro Clero (Ministério e Ordenação)’ de 1967.

Esta Medida Parlamentar dá ao Arcebispo autoridade para determinar se as Ordens de outras Igrejas são ‘reconhecidas e aceitas’ pela Igreja da Inglaterra. No caso da Igreja Livre da Inglaterra, este reconhecimento seguiu um processo de contato de três anos entre os bispos da Igreja Livre da Inglaterra, o Concílio pela Unidade dos Cristãos e a Comissão de Fé e Ordem, que recomendaram unanimemente que as Ordens da Igreja Livre da Inglaterra fossem reconhecidas. Tal recomendação foi em seguida aprovada pelo Conselho Permanente da Casa dos Bispos da Igreja da Inglaterra.

Sob esta Medida, o clero da Igreja Livre da Inglaterra pode receber a permissão do Arcebispo da Província para oficiar na Igreja da Inglaterra, já seja permanentemente ou por um período de tempo, com todos os direitos, responsabilidades, deveres, e benefícios, como se houvessem sido ordenados por um dos bispos da Igreja da Inglaterra. Em outras palavras, não precisam serem ordenados novamente (re-ordenados).

A Seção 4 da Medida também permite aos bispos da Igreja Livre da Inglaterra ordenar e realizar outras funções episcopais a pedido de um bispo diocesano da Igreja da Inglaterra, subordinado a permissão do Arcebispo da Província em questão.

cruzNa Igreja Livre de Inglaterra (Free Church of England), a Fé Cristã é entendida e vivida como nos foi instruída pelas Sagradas Escrituras, transmitida pelos Apóstolos e purificadas dos erros pelos Reformadores Ingleses.

Nos Anglicanos temos a Bíblia como a revelação de Deus, inspirada pelo Espírito Santo e a reconhecemos como a única autoridade infalível quanto a fé e conduta. Dessa divisa derivam as doutrinas da graça de Deus dos 39 Artigos da Religião, o Catecismo e o Livro de Oração Comum, o qual formam o formulário Anglicano.

Entendemos que a fé Cristã implica razão e emoção. As doutrinas bíblicas tem, como alvo, mostrar e ensinar a obedecer ao nosso Senhor, Jesus Cristo.

…ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo; ensinando-lhes a obedecer a todas as coisas que vos ordenei; e eu estou convosco todos os dias, até o final dos tempos” (Mateus 28:19-20).

O enfoque principal é o amor de Deus pelo Seu povo eleito, e responder ao seu convite para que sejamos discípulos maduros em liberdade, respondendo em ação de graças e com uma adoração sincera e genuína em espírito e verdade.

A Igreja Livre da Inglaterra acredita que a salvação (ser levado a um relacionamento eterno com Deus) é somente possível pela Graça através da Fé e arrependimento na obra salvadora de Jesus Cristo na Cruz. Acreditamos que a Bíblia é a Palavra de Deus inspirada e infalível. Acreditamos que o Espírito Santo é dado aos Cristãos para que possam dar a Deus sacrifícios espirituais de louvor, ação de graças, e vidas santificadas. Isto, acreditamos, é a Fé Católica.

Também, acreditamos que é possível pregar e viver esta Fé “evangélica e católica” na Igreja, a qual é em si mesma parte da provisão graciosa de Deus. Localmente e nacionalmente, a Comunidade Cristã deve ser um lugar onde Cristo seja feito conhecido através da pregação, os sacramentos, a oração, o cuidado pastoral, os ensinos e os atos de testemunho e serviço. O ministério dos nossos diáconos, presbíteros e bispos é dirigir e capacitar as congregações locais em todas estas funções.

Definitivamente, sim. A Igreja Livre da Inglaterra acredita que a Igreja foi formada pelo Evangelho e tem recebido o mandato de compartilhar as Boas Novas com todas as nações para que outros possam vir a conhecer a Cristo e ser adicionados a Igreja que é o Corpo de Cristo.

A Igreja Livre da Inglaterra é membro do Grupo das Igrejas Livres, formado por denominações cristãs evangélicas na Inglaterra.

A Igreja Livre da Inglaterra reconhece que todos nós somos pecadores, e que a única esperança para os pecadores (heterossexuais ou homossexuais) está em Jesus Cristo. Ensinamos que o matrimônio heterosexual monógamo é a única forma de união aprovada por Deus para relações sexuais plenas hoje em dia. Santo Matrimônio é o compromisso exclusivo de um homem e uma mulher um com o outro em amor conjugar (Gênesis 2:20-25; 1 Coríntios 7:1-5). A intenção é uma união estável para toda a vida (Mateus 19:3-12), no qual os filhos possam nascer e ser nutridos (1 Coríntios 7:12-14). Um padrão para o matrimônio é mostrado no amor de Cristo para a Igreja (Efésios 5:22-33). Esta compreensão do matrimônio é baseado no ensino simples das Escrituras, e é consagrada na Solenização do Matrimônio do Livro de Oração Comum e no Catecismo da Igreja Livre da Inglaterra.

A Igreja Livre da Inglaterra não celebra a benção, união e/ou matrimônio de pessoas do mesmo sexo.

Compreende as ofensas causadas aos homossexuais pelas atitudes passada e presentes da Igreja. Desejamos, em particular, oferecer apoio pastoral aos cristãos que lutam contra a atração do mesmo sexo e que permanecem celibatários em obediência a Cristo e apoia-los na sua fidelidade a Deus.

A Igreja somente reconhece o Matrimônio Bíblico formado por um homem e uma mulher, em relação monogâmica e por toda a vida.

Ao mesmo tempo, reconhece que existem pessoas separadas ou divorciadas as quais temos que acolher com amor, são convidados a serem parte da vida da igreja e podem participar da Santa Comunhão. Acreditamos que a Santa Ceia não é um premio, nem um castigo, mas é um meio de Graça dado por Deus para abençoar sua Igreja formada por pecadores salvos por Cristo.

A Igreja não apoia, nem promove, a convivência extra-matrimonial.

Oferece Jesus Cristo

Jesus disse, ‘ninguém vem ao Pai se não por mim’ (João 14:6).

A morte salvadora de Cristo foi o caminho de Deus para lidar com nossos pecados na Cruz; isto nos impulsa a proclamar Jesus Cristo, como o único caminho para Deus, com carinho, respeito e confiança. Nos não nos dedicamos a condenar aos outros, mas percebemos que a coisa mais amorosa que podemos fazer é mostrar Cristo aqueles que ainda não conhecem Jesus.

Oferece uma adoração centrada em Deus

É importante que a adoração seja acessível, contudo tem que ser dirigido a Deus e não somente ser um “entretenimento.” Nossos cultos são litúrgicos, alegres e dignos, com um linguagem esboçado das Escrituras.

Oferece o Cristianismo Bíblico

A Bíblia é a revelação de Deus a humanidade e contém todas as coisas necessárias para a salvação. Todos os nossos ensinos se encontram nas Escrituras. Não temos um abordagem que impor uma uniformidade total em cada uma das questões da fé, contudo a Igreja Livre de Inglaterra afirma a Bíblia, como a Palavra de Deus inspirada e revelada.

Oferece o Cristianismo Histórico

Nossa estrutura, constituição, e adoração são em continuidade direta com a Igreja histórica na Inglaterra, e alcança através da Igreja dos Pais as comunidades apostólicas originais. Como a maioria das Igrejas ao redor do mundo, temos um ministério ordenado somente masculino de diáconos, presbíteros e bispos.

Oferece um desafio

Seguir a Jesus Cristo exige todo de nós. Ser Cristão é um compromisso de toda a vida – envolve decisões éticas, financeira e de estilo de vida. As vezes, pode trazer impopularidade e mal-entendidos; ao mesmo tempo, é um caminho de discipulado imensamente libertador e gratificante.

Oferece comunhão

Nossas congregações locais são famílias cristãs onde as pessoas encontram amigos e apoio. Muitas das nossas igrejas tem diversas atividades para ajudar e crescer juntos. Todos sempre são bem-vindos.

Oferece estabilidade

Não somos uma nova igreja. Muitas das congregações tem mais de 100 anos de história. Seguimos os passos de aqueles cristãos que viveram antes de nós, e seguiram os ensinos de Cristo.

Oferece relevância

O evangelho desafia cada geração e cada cultura, como também cada um de nós. Isto é verdade no século 21, como era no século 1. Ao mesmo tempo, o evangelho é relevante a cada geração. Oferece o critério de Deus pelo qual compreendemos os eventos contemporâneos. E oferece significado, esperança e alegria a cada homem, mulher e criança, que vai além da morte.

bispo-john-fenwick

Revmo John Fenwick, Bispo Primus da Igreja Livre da Inglaterra

Contato

Envia-nos suas perguntas

Contato

IGREJAS IRMÃS DA IGREJA LIVRE DA INGLATERRA