Princípios do Anglicanismo

Mais que nunca, precisamos renovar nossa visão do que significa ser um Anglicano. Minha convicção é que sendo reformado é o modo mais autentico de ser Anglicano (temos dito isso por anos), mas também que ser Anglicano é a melhor forma de ser Cristão.

Primeiro, porque o formulário Anglicano (os 39 artigos, o Livro de Oração e as Homilias) se submete plenamente a autoridade das escrituras. Ainda que proveem uma fundação teológica extraordinariamente rica, eles também podem ser testados pela norma das escrituras.

Segundo, porque o Anglicanismo tem um grande sentido do que é o essencial e o que é secundário. Outras denominações Protestantes tem uma tendência de fazer as questões secundarias – como a forma do batismo ou a disciplina da igreja ou o governo da igreja – uma marca distintiva essencial. E eles se dividem por este motivo. O formulário Anglicano tem um compromisso nas coisas importantes, e permite liberdade sob as Escrituras nas questões secundarias. Que bençâo!

Terceiro, o Anglicanismo é uma grande estratégia missionaria. Desde o começo, Cranmer e os outros sabiam que estavam em uma batalha pelos corações – corações como Catherine Parr, que precisavam de conversão. Hoje, as oportunidades se estão abrindo para a missão, porque nossas redes Anglicanas – no Brasil e em outros países – são extraordinárias.

Estou seguro que poderia adicionar mais na lista. Mas não tenho certeza de que a mensagem está sendo escutada.

Em poucas palavras, o Novo Anglicanismo é o Cristianismo que foi reformado na Inglaterra do século 16, como foi vivido, ensinado e desenvolvido pelos Reformadores Ingleses.

Autor: Desconhecido

2016-03-04T00:56:55+00:00