Primeiro estudo sobre as Sagradas Escrituras

Hebreus 1:1-2 disse o seguinte sobre a maneira em como Deus tem falado através dos séculos sobre a existência do homem, “Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias a nós nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem fez também o mundo”.

O ANTIGO TESTAMENTO

O conceito “de muitas vezes e muitas maneiras” é importante. A palavra escrita não estava sempre disponível e, de tempo a tempo, Deus revelaria os Seus pensamentos aos patriarcas como Abraão, Noé, etc. através de eventos milagrosos. O livro de Géneses regista muitos desses encontros iniciais entre Deus e homem. Á medida que o tempo passava Deus utilizaria várias maneiras para focar a atenção do homem (por exemplo o arbusto ardente em Êxodo 3:2), e enviaria mensageiros, com Moisés, Josué, Débora, etc. para comunicar as suas palavras ao povo.

Com o desenvolvimento da arte de escrever, Deus começou a utilizar este médio para deixar a Sua mensagem para os homens na posteridade. Ele inspirava profetas e mestres a registar o que Ele queria dizer á humanidade. Ao contrário dos textos sagrados de outras religiões populares, o conjunto de livros chamados Antigo Testamento, do qual fazem parte as Escrituras antes do nascimento de Cristo, afirma consistentemente ser a palavra de Deus. Jeremias 1:9, Amos 1:3, 6, 9, 11 & 13, Mica 1:1 e muitas mais passagens indicam que os profetas percebiam os seus textos como se fossem faladas diretamente por Deus. Desta maneira “homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo” (2 Pe 1:21). Paulo refere-se aos livros do Antigo Testamento como “as Sagradas Escrituras”, que nos foram entregues “divinamente inspiradas” (2Ti 3:15-16)

O NOVO TESTAMENTO

Este conceito de inspiração é utilizado pelos escritores do Novo Testamento. O Novo Testamento é uma coleção de escritas que reclamam a autoridade das Escrituras, principalmente através da associação com aqueles reconhecidos como Apóstolos antes de Atos 15. Nota que o Apostolo Pedro agrupa as epístolas de Paulo, “escritas de acordo com a sabedoria que lhe foi dada” com “as restantes Escrituras” (2 Pedro 3:15-16). Após a morte dos apóstolos de Cristo não aceite outro livro como parte do que agora chamamos A Bíblia.

Os apóstolos que caminharam com Cristo, como João e Pedro, registaram os principais acontecimentos do ministério de Jesus e as suas instruções para nós (1 João 1:1-14; João 21:24,25). Eles foram “testemunhas oculares da Sua Majestade”, obtiveram a “confirmação da palavra profética” e fizeram-nos conhecer “o poder e a vinda do nosso Senhor Jesus Cristo” (2 Pedro 1:16-19).

Lucas, um médico, em conjunto com outra pessoa considerado como historiador, colecionou histórias de “testemunhas oculares e ministros da palavra” e escreveram “um registo ordenado… para que conheças plenamente a verdade das coisas em que foste instruído” (Lucas 1:1-4).

Jesus disse que seria o Espírito Santo que relembraria os apóstolos das coisas que Ele falou (João 14:25). O Espírito Santo, tal como inspirou os escritores do Antigo Testamento, inspiraria os apóstolos a compor os seus livros e cartas para nós e os guiaria para toda a verdade (João 15:27, 16:13). As Escrituras representam para nós um testemunho verídico das boas novas de Jesus Cristo.

AS SAGRADAS ESCRITURAS SÃO A PALAVRA INSPIRADA DE DEUS

Consequentemente a afirmação bíblica é de que as Sagradas Escrituras são a Palavra Inspirada e escrita de Deus, o verdadeiro e preciso registo da revelação de Deus para a humanidade. As Escrituras falam com autoridade divina. Podemos ver que a Bíblia é dividida em duas partes: o Antigo Testamento, mostrando que Deus falou pelos profetas como diz em Hebreus; assim como o Novo Testamento, revelando também em Hebreus 1:1-2 o que Deus nos fala através do Seu Filho (via as escrituras dos Apóstolos). Portanto, através das palavras das escrituras, membros da família de Deus são “edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina;” (Efésios 2:20).

REFLEXÃO:

A Bíblia é consistente em afirmar que é a palavra inspirada de Deus?

Quais são as implicações para o crente?

Qual é o valor das Escrituras para o crente?