Loading...

Até aqui nos ajudou o SENHOR (1 Samuel 7.12b)

A Igreja Anglicana Reformada do Brasil foi legalmente constituída em 2009. Nesse ano, aconteceu o primeiro Sínodo da IARB na cidade de Bragança Paulista, São Paulo. Contudo, nós Anglicanos Reformados nos remontamos ao inicio da presença anglicana no Brasil, já que as primeiras congregações eram anglicanas reformadas. O mesmo se deu como resultado dos esforços pastorais e missionários do Bispo Francisco Buzzo Rodrigues que respondeu o chamado de Deus para restaurar o anglicanismo a suas origens reformadas o que permitiu estabelecer esta diocese em formação da Free Church of England no Brasil.

A Igreja Anglicana Reformada foi formada com o desejo de alcançar aos mais de 150 milhões de Brasileiros que ainda não conhecem Jesus Cristo, como Senhor e Salvador. Ao mesmo tempo, a nossa igreja nasceu por causa da grave crise de fé e liderança na Igreja Brasileira. Por isso, hoje, a Igreja Anglicana Reformada tem como alvos abrir novas igrejas, discipular e formar novos lideres do século 21.

Nossa história começou no fim do século 20 quando várias pessoas decidiram sair da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil por causa do liberalismo e crise de fé na IEAB, mas tomou forma e corpo em meados da primeira década do século 21 quando o Bispo Francisco Buzzo estabeleceu uma paróquia em Bragança Paulista com o nome de Igreja Anglicana Reformada. Por vários anos, a IAR permaneceria como uma paróquia nessa cidade.

Em 2008, um casamento em Christ Church em Rio de Janeiro mudaria a história da Igreja Anglicana Reformada quando Bispo Francisco Buzzo e Bispo Josep M. Rossello se encontram no casamento deste último. Um ano depois deste encontro, nasceria oficialmente a nova Igreja Anglicana Reformada no Primeiro Concilio no fim de novembro de 2009.

História do Anglicanismo

A história da Reforma Inglesa não é a história do divorcio do rei Henrique VIII. Nossas raízes se encontram na própria história da Igreja Inglesa através dos séculos a qual nos levou a Reforma Protestante, dando luz o Anglicanismo.

As igrejas anglicanas têm suas raízes anteriores a Reforma Protestante da Igreja da Inglaterra do século XVI, que por sua vez foi um retorno ao ensino evangélico e às práticas da igreja apostólica e a patrística nos primeiros cinco séculos.

A Reforma Inglesa tem uma longa história que se remonta ao século 14 na Inglaterra com Wycliffe e seus fiéis companheiros, os lolardos. Wycliffe organizou um projeto de tradução das Escrituras, defendendo que a Bíblia deveria ser a base de toda a doutrina da Igreja e a única norma da fé cristã. Sustentava que o papa ou os cardeais não possuíam autoridade para condenar suas 18 teses, pois Cristo é a cabeça da Igreja e não os papas. A influência dos escritos de Wycliffe foi muito grande em outros movimentos reformistas, em particular sobre o da Boêmia, liderado por Jan Huss e Jerônimo de Praga.

No século 16, Martinho Lutero começou a promover idéias semelhantes aos lolardos na Inglaterra. Dois eventos se uniram para que a Igreja NA Inglaterra fosse a Igreja DA Inglaterra. Estes dois eventos foram (1) a decisão do Enrique VIII, com a ajuda do parlamento e os bispos, de separar a Igreja Inglesa de Roma e a influência do Papado, e (2) os lolardos se uniriam a uma nova geração de bispos e ministros influenciados pelas idéias de Lutero, se reuniam em “The White Horse Inn.” A herança deste homens deu a luz o que, hoje, é conhecido como ‘Anglicanismo.’ Tomás Cranmer era um desses homens. Ele foi o pai da Igreja Anglicana e o autor das mudanças nela. Ele formou o caráter e pensamento da Reforma Protestante da Inglaterra.

Muitos dos princípios defendidos por Tomás Cranmer permanecem no centro da fé e culto Anglicano. Ele foi o artífice do Livro de Oração Comum, o qual foi muito mais que um manual de culto, ele é o formulário anglicano. Nele, encontramos as doutrinas essências como a Trindade, a soberania de Deus, a centralidade da Cruz, a justificação pela graça mediante a fé, a predestinação e eleição e o sacerdócio de todos os crentes. Esta fé resultava em um culto formado pelo evangelho e a Escritura. O culto forma a fé, e a fé instruí o culto, juntos edificam o povo de Deus. A Oração Comum não é individual, mas congregacional. A fé o culto se encontravam no lema, “Lex orandi, lex credandi, lex vivendi” (como adoramos, assim acreditamos, e vivemos).

A organização da Free Church na Inglaterra

A Nossa História é a história de superação de um grupo de homens e mulheres que acreditaram no impossível era possível em Cristo.

A Igreja Livre da Inglaterra (FCE), à qual pertence a Igreja Anglicana Reformada, começou em 1844 como uma reação ao ritualismo do Movimento de Oxford, surgido naquele tempo dentro da Igreja da Inglaterra. Tal movimento quis e esforçou-se para eliminar qualquer vestígio da herança e da doutrina reformada da tradição Anglicana. Isso chegou a causar perseguição contra vários ministros evangélicos, que eram intimados a mudar o culto em suas paróquias, ainda que eram fiéis a doutrina, culto e governo da Igreja da Inglaterra.

A reação dos ministros comprometidos com o Anglicanismo clássico se fez ouvir. Uma de suas vozes mais poderosas foi a do Bispo J. C. Ryle, um dos fundadores da hoje chamada Church Society, entidade dedicada a defender e fomentar o anglicanismo clássico. Outras vozes também se ergueriam, como quando em 1844 se formou a Free Chuch of England, que somente em 1863 seria registrada como uma entidade legal perante o Governo Inglês. Nos documentos de sua fundação se lê: “comprometidos com as Doutrinas da Igreja da Inglaterra, como apresentadas nos 39 Artigos de Religião, e aos princípios e práticas associadas com os princípios da Igreja Estabelecida na Inglaterra” – Bispo Vaughan.

A Igreja foi organizada por clérigos e leigos evangélicos da Igreja da Inglaterra, os quais desejavam preservar a prática histórica e a fé reformada da Igreja. No entanto, ainda que a primeira Capela a usar o nome da FCE date de 1844, essa Igreja tem suas origens a muito mais tempo, desde as capelas evangélicas estabelecidas através da pregação de George Whitefield, calvinista e um dos pais do Metodismo, e do Avivamento Evangélico. Algumas dessas Igrejas terminaram se organizando sob o nome de “Conexão da Condessa Huntingdon” – entidade que fomentava várias igrejas livres pelo Reino. Igualmente, as primeiras comunidades foram associadas à Conexão, uma vez que as mesmas eram também uma conexão de capelas evangélicas independentes, e que tinham uma clara identidade anglicana. Por este motivo, ainda hoje a Igreja Livre da Inglaterra considera a “Conexão da Condessa Huntingdon” como uma Igreja mãe.

As duas Igrejas tomaram caminhos distintos quando a “Conexão da Condessa Huntingdon” decidiu adotar, definitivamente, o sistema congregacional de governo. Em 1876, o Rev. Benjamin Price foi consagrado Bispo pelo Revmo. Edward Cridge, bispo da Igreja Episcopal Reformada no Canadá.

Em 1927, a Igreja Livre da Inglaterra se uniria à missão inglesa da Igreja Episcopal Reformada dos Estados Unidos. Esta Igreja, por sua vez, fora organizada em 1873 nos Estados Unidos pelo Revmo. Dr. George David Cummins, na época bispo auxiliar de Kentucky, na Igreja Episcopal Protestante dos Estados Unidos (PECUSA). Na época, Bispo Cummins desejava compartilhar a Palavra e o Sacramento com outras igrejas, não-episcopais, algo que era cada vez mais proibido pela PECUSA.

A partir de 1927, a nova Igreja inglesa passou a adotar, oficialmente, o extenso nome de “Igreja Livre da Inglaterra, também chamada a Igreja Episcopal Reformada no Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte”, e desde então avançado firmes na missão de pregar o evangelho a toda criatura. Ainda que enfrentando os desafios dos tempos atuais, a Igreja Livre da Inglaterra continua plantando igrejas, fazendo discípulos e formando ministros na Inglaterra e além.

O Anglicanismo chega ao Brasil

Talvez, se você surpreenda em saber que a história do Anglicanismo no Brasil remonta a 1810, com o Tratado de Comércio e Navegação entre Portugal e Inglaterra. O que permitiu a igreja anglicana abrir o primeiro templo evangélico no Brasil e na América do Sul.

A presença do anglicanismo no Brasil teve início após a vinda da corte portuguesa ao Rio de Janeiro. Com o Tratado de Comércio e Navegação de 1810 entre Portugal e Inglaterra, permitiu-se a construção de igrejas de denominações protestantes, desde que os templos tivessem a aparência de uma residência comum, sem torres ou sinos, e não buscassem a conversão de cristãos católicos brasileiros.

Desta forma, o primeiro templo construído por protestantes no Brasil foi da Igreja Anglicana, considerado também o primeiro na América do Sul, na cidade do Rio de Janeiro. As primeiras capelanias ficaram subordinadas diretamente à Igreja da Inglaterra, e atendiam somente súditos ingleses.

Aproximadamente na década de 1860 houve a tentativa de se implantar a igreja anglicana voltada para o povo brasileiro. Para isso o missionário estadunidense Rev. Richard Holden tentou abrir a primeira missão em Belém do Pará, e depois em Salvador da Bahia, mas essas iniciativas foram mal-sucedidas.

Em 1890 missionários estadunidenses chegaram ao Rio Grande do Sul, onde estabeleceram as primeiras igrejas. Em 1º de junho de 1890, James Watson Morris e Lucien Lee Kinsolving realizaram, na cidade de Porto Alegre, o primeiro culto da Igreja Anglicana brasileira.

A Igreja Anglicana Reformada

A finais do século 20, os Episcopais Anglicanos do Brasil começam abraçar o liberalismo proveniente dos Estados Unidos da América. Isto vem acompanhado de uma forte imigração de católicos-romanos que se unem a Igreja Episcopal Brasileira, mudando o caráter, a fé e a identidade da mesma. Como respostas destes escândalos, o Rev. Francisco Buzzo Rodrigues começa um pequeno grupo na sua casa que, aos poucos, se vai desenvolvendo em uma congregação local em Bragança Paulista (São Paulo). Ele seria sagrado bispo uns anos depois. O nome, “Igreja Anglicana Reformada,” começo a ser usado por esta congregação local a partir de 2005. E, somente, em 2009, teve lugar o primeiro Sínodo da Igreja Anglicana Reformada, na cidade de Bragança Paulista, São Paulo.

O Revmo. Francisco Buzzo Rodrigues foi o Bispo Diocesano da Igreja Anglicana Reformada os primeiros anos até que decidiu por própria vontade aposentar-se por questões pessoais no 30 de Abril de 2012. Hoje em dia, o Revmo. Francisco Buzzo Rodrigues é o Bispo Emeritus desta igreja, e segue servindo ao Senhor, como Reitor da Igreja Anglicana de Bragança Paulista. O Revmo. Josep M. Rosselló Ferrer foi nomeado Bispo Diocesano da Igreja Anglicana Reformada após a renuncia do Revmo. Francisco Buzzo Rodrigues.

A finais de 2012, a Igreja Anglicana Reformada foi refundada com o novo nome, “Igreja Anglicana Reformada do Brasil.” Contudo, a maior mudança não foi o nome. Esta igreja adotou novos Estatutos (Constituição e Cânones), uma nova Declaração de Princípios e uma clara identidade Anglicana, a qual é e sempre foi Protestante, Reformada e Episcopal.

Em 2014, a Igreja Livre da Inglaterra recebeu as primeiras congregações locais da Igreja Anglicana Reformada do Brasil. Bispo Josep Rossello foi nomeado pelo Bispo Primaz como o Comissário para o Brasil.

História da Igreja

CLIQUE AQUI