5 razões pelas quais o anglicanismo reformado é relevante

A igreja foi criada para ser um farol, indicando o caminho certo para a verdadeira realização e esperança. Apesar disso, infelizmente, a igreja de hoje se rende ao discurso do mundo sem sequer ter consciência disso. Nossa pregação pode facilmente reforçar a idéia de que somos o que fazemos, dizendo às pessoas que devem se esforçar para fazer o que agrada a Deus, para que Ele continue a aceitá-las. No entanto, o verdadeiro cristianismo baseia toda a sua esperança, não no que temos que tentar fazer para merecê-lo, mas naquilo que Deus prometeu fazer, através e através de nós, por causa de Seu amor.
Aqui está a mensagem central do anglicanismo reformado. Forjada numa época em que a igreja ocidental havia se perdido, suas cinco características apontam para o verdadeiro evangelho, mais uma vez, para o século XXI.

1. O anglicanismo reformado é apostólico

Em uma era de incerteza, quando a busca pela verdade foi substituída por uma busca incessante pelo “eu verdadeiro”, o anglicanismo reformado está fundamentado na sólida rocha das testemunhas oculares de Jesus.
No meio da confusão doutrinal do período medieval, os protestantes fizeram uma distinção simples, mas significativa. A Bíblia, como um testemunho dos apóstolos, tinha uma autoridade única para a fé. Os escritos dos líderes posteriores da igreja poderiam ser guias úteis para a vida cristã, mas a Escritura é seu próprio e supremo intérprete em relação a Deus e nosso relacionamento com Ele.
Thomas Cranmer, o principal reformador inglês, destacou que importantes teólogos antigos, como João Crisóstomo e Agostinho, ensinavam esses mesmos princípios. Então, para garantir que a Igreja da Inglaterra, que era recém-autônoma, fosse verdadeiramente apostólica, os reformadores ingleses adotaram o princípio da Sola Scriptura.

2. O anglicanismo reformado é católico

Devemos sempre lembrar que os reformadores nunca se viram como outra coisa senão bons católicos. Eles confessaram o que todos os cristãos católicos sempre confessaram como verdadeiro em todos os lugares da igreja primitiva. Como os seus homólogos romanos, os reformadores protestantes eram grandes promotores dos antigos credos e acreditavam na natureza da Trindade e de Cristo, como ensinado nos primeiros quatro conselhos gerais.
Numa época em que tantas denominações cristãs estão questionando os fundamentos da fé, somente a eterna sabedoria divina do cristianismo apostólico católico – que é abraçado pelo anglicanismo reformado – pode efetivamente contrariar a falsa esperança oferecida pelos artifícios de desejos enganosos do coração moderno no pós-cristianismo.

3. O anglicanismo reformado está focado na missão

Os reformadores ingleses acreditavam que Cristo veio para proclamar uma mensagem que tem o poder de convocar uma comunidade. Naturalmente, então, a primeira grande mudança litúrgica de Thomas Cranmer foi introduzir a pregação reformada através do Livro das Homilias. Ele queria produzir fé salvadora nos corações e mentes fazendo-os ouvir a mensagem do evangelho apresentada claramente durante o culto de domingo.
Então, dois anos depois, Cranmer reforçou o ensino reformado, introduzindo um novo livro de orações. Ele substituiu a liturgia em latim por um serviço em inglês (a língua do povo) que enfatizava, através da Palavra e dos sacramentos, o poder do Evangelho para mover seus corações para o amor a Deus e aos outros.
Embora o principal foco de Cranmer na missão fosse o povo inglês, ele não negligenciou a evangelização de não-cristãos fora de seu país. Uma coleção (um tipo de oração comunitária típico da liturgia anglicana) para Sexta-feira pediu a Deus para salvar todos os “judeus, turcos, ímpios e hereges” de “desprezo pela palavra” para trazê-los para casa, o rebanho de Cristo . Mais tarde, os anglicanos ergueram poderosas sociedades de missões no exterior, nesta pequena fundação reformada.

4. O anglicanismo reformado é litúrgico

Os reformadores perceberam que seus planos para a conversão da Inglaterra só teriam sucesso se as pessoas fossem regularmente expostas ao poder transformador das Escrituras. Consequentemente, Cranmer articulou um modelo sistemático de leitura bíblica para as igrejas locais durante seus novos serviços diários de oração da manhã e da tarde. Isso implicava que a maior parte da Bíblia foi lida ao longo de um ano.
Cranmer também viu os sacramentos como uma maneira de tornar tangíveis as promessas bíblicas de Deus. Desde que os humanos aprendem através dos sentidos (através do que vemos, ouvimos, cheiramos, saboreamos e tocamos), Cranmer acreditava que quando a Palavra de Deus é acompanhada de coisas tangíveis como água, pão e vinho então as verdades de Suas promessas afetam as pessoas mais profundamente. Quando o ministro recita a narrativa bíblica da Última Ceia, o Espírito de Deus vai ao coração dos crentes, fortalecendo sua fé e intensificando seu amor.
Este é o coração da visão litúrgica de Cranmer: O amor generoso de Deus, constantemente comunicada pelo Espírito Santo na repetição regular das promessas das Escrituras por meio da Palavra e dos Sacramentos, inspirar o amor humano grato, arrastando os crentes para Deus, para o próximo e para uma vida em busca da santidade.

5. O anglicanismo reformado transforma

A transformação externa começa com a renovação interna de nossos desejos produzidos pelo Evangelho apostólico. Esta é a chave para o desenvolvimento humano. Graça gera gratidão. A gratidão dá nascimento ao amor. O amor dá origem ao arrependimento. O arrependimento produz boas obras. Boas obras contribuem para uma sociedade melhor. Dada sua ênfase na doutrina paulina da salvação, o anglicanismo reformado é talvez a melhor resposta para aqueles que estão buscando um meio de transformação autêntica de dentro para fora.

Relevante para hoje

Para aqueles que no século 21 buscam significado e propósito na vida, o compromisso do anglicanismo reformado com a sabedoria atemporal do ensino apostólico lhes dá uma rocha sólida sobre a qual se apoiar.
Para aqueles que buscam um senso de continuidade histórica, o Anglicanismo Reformado lhes oferece os laços íntimos de uma comunidade com a igreja primitiva, expressa em sua fidelidade às Escrituras, aos credos e aos quatro primeiros concílios.
Para aqueles que fazem das necessidades dos outros uma prioridade, o foco na missão do anglicanismo reformado encoraja o que Deus já colocou em seus corações.
Para aqueles que procuram ser continuamente apoiado por uma inspiradora, sistemática e moldada pela adoração Escrituras, património litúrgico do anglicanismo Reformada oferece talvez o melhor modelo para proclamar o evangelho da graça e gratidão antiga beleza e sensibilidade contemporânea.
Para aqueles que estão procurando uma mudança real em si mesmos e na sociedade, a perspectiva do anglicanismo reformado na renovação das afeições do ser humano fornece os meios mais autênticos para o desenvolvimento da experiência humana.
Precisamos do anglicanismo reformado no século 21, porque seus princípios tratam exclusivamente das necessidades contemporâneas de nossa sociedade global.

Nota do Editor: Este é um excerto adaptado do livro “Reformation Anglicanism” (Anglicanismo Reformado), editado por Ashley Null e John W. Yates III.

Este artigo foi originalmente editado por Ashley Null, e foi publicado em inglês no TheGospelCoalition.org . Foi traduzido e adaptado por Ricardo Ramos.